16/06/11

Nem todo o cálcio é bom para os ossos!

Depois de alguns dias ausente, cá estou novamente.

Gostaria de comentar aqui a reportagem exibida ontem no Jornal Hoje, da Rede Globo, sob o título: Falta de cálcio pode causar osteoporose em idosos.
A reportagem começou falando sobre leite materno. Realmente, o leite materno é o alimento mais perfeito que existe no mundo. É fundamental e importantíssimo para o crescimento dos bebês, devido, também, aos seus mecanismos imunológicos. Sua composição é específica e sutilmente modificada de acordo com a necessidade do lactente.  Mas hoje o foco é outro.

A reportagem citou várias vezes a importância do consumo do cálcio presente no leite de vaca e derivados do leite, como queijos e iogurtes. Porém, gostaria de deixar claro que leite materno é uma coisa e leite de vaca é outra! Quem nunca ouviu falar que leite materno é pra criança, leite de vaca é para bezerro, leite de cabra pra cabrito?

O que mais diferencia o leite de vaca do leite materno é a composição de proteínas, o desequilíbrio entre os minerais presentes assim como a ausência de fatores imunológicos.
Na mesma reportagem foi falado sobre os cuidados com a lactose do leite de vaca. E como já citado aqui, há uma grande diferença entre intolerância à lactose e alergia às proteínas do leite de vaca. Portanto, não devemos confundir as duas coisas e somente atribuir o malefício do leite de vaca à lactose.

No leite de vaca há mais de 25 frações protéicas alergênicas e ainda possui 3 vezes mais proteínas que o leite humano. Dentre elas estão a caseína, as lactoglobulinas e lactoalbumina. A caseína é uma proteína de difícil digestão e que prejudica o esvaziamento gástrico. Além disso, o leite de vaca contém betalactoalbumina, proteína que não existe no leite humano e é comprovadamente a mais alergênica do leite de vaca para o ser humano. Nós não temos enzimas específicas para digerir essa proteína.  A intolerância ao leite de vaca é comum e pode desencadear transtornos funcionais gastrintestinais locais e por conseqüência também transtornos sistêmicos.

As proteínas do leite de vaca acidificam o pH sanguíneo e sobrecarregam o rim. Quando se consome leite de vaca em alta quantidade, aumenta-se a excreção urinária de cálcio. Mas o leite não tem cálcio? Que paradoxo é esse? No leite de vaca não há um equilíbrio com os outros minerais (por exemplo, o magnésio, boro, manganês), impedindo a biodisponibilidade do cálcio para ser absorvido. Esse NÃO sinergismo entre os minerais promove uma utilização NÃO adequada dos mesmos e leva a microcalcificações a partir do cálcio circulante que não conseguiu fixar-se no osso, causando osteoartrite, cálculos, bursite, nódulos, entre outros. 

Portanto, o cálcio presente no leite de vaca não é biodisponível como o cálcio presente nos vegetais verdes escuros, que têm uma proporção parecida com a do leite humano e uma sinergia entre os minerais, evitando câimbras, dores musculares, dores de cabeça, cólica, TPM, síndrome dos ovários policísticos, osteoporose, taquicardia, resistência à insulina entre outros.   
No sangue, o metabolismo de legumes, verduras e frutas mantêm o pH levemente alcalino, favorecendo a biodisponibilidade de cálcio e, conseqüentemente, sua fixação no osso.
Devemos incluir na nossa alimentação diária os alimentos alcalinizantes, como: frutas, legumes e as verduras. E ao mesmo tempo, evitar os alimentos acidificantes, como: leite, açúcar, carnes, cafeína, gorduras, álcool e aditivos químicos presentes nos produtos industrializados.

Uma boa opção para substituir o leite de vaca seria o leite de quinua, leite de amêndoas, leite de arroz. Vale ressaltar que houve uma diminuição do consumo de leite de vaca pela população, porém elevou-se o consumo dos seus derivados, ao invés de alimentos fontes dos outros minerais necessários para o equilíbrio orgânico.
Outro ponto que gostaria de ressaltar e que foi comentado na reportagem do Jornal Hoje é que a maioria da população substitui o leite de vaca pelo leite de soja. A soja é um alimento com grande potencial alergênico também. 

Excelentes fontes de cálcio na nossa alimentação: tofu, repolho, couve, sardinha, folhas de nabo, mostarda, espinafre, gergelim e outros vegetais de folhas verdes escuras.

Curiosidade: Para fazer queijo, normalmente se concentra cerca de 10 vezes o leite de vaca, concentrando ainda mais as proteínas alergênicas e o cálcio, em vez do magnésio.
E pra finalizar: A individualidade bioquímica continua sendo fator essencial num tratamento nutricional. Portanto, na dúvida, consulte um bom nutricionista.
Fontes:
Carreiro, DM. Entendendo a importância do processo alimentar. 2ª edição – São Paulo, SP, 2007.
Ctenas, MLB, Vitolo, MR. Crescendo com Saúde: o guia de crescimento da criança. São Paulo: C2 Editora e Consultoria em Nutrição Ltda, 1999.


6 comentários:

  1. Que post completo e esclarecedor. Adorei!! Pra completar ainda mais, onde podemos comprar os leites de arroz, amêndoa e quinua...eles são mais caros, mas quanto é esse "mais caro"?? Dá pra fazer, a partir desses leites, alimentos como queijo, coalhada, iogurte e requeijão? Enfim, olha eu te pentelhando...hahaha Beijos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo comentário, Lívia.
    Os leites de arroz, de amêndoas e de quinua podem ser encontrados em lojas de produtos naturais, especializadas em produtos sem leite e sem glúten. São produtos mais caros, porém vale o investimento.
    Os leites de amêndoas e de quinua podem ser feitos em casa, com amêndoas e quinua em grãos, respectivamente. Em outra oportunidade ensinarei a receita e postarei pra todos.
    Que eu saiba não é possível fazer queijo, iogurte e requeijão com esses leites. Porém o queijo de soja (tofu) é bastante utilizado para fazer patês em substituição do requeijão e margarinas.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Romerci T. de Almeida Oliveira16 de junho de 2011 16:51

    Muito esclarecedor.
    Gê, o máximo! Estou imprimindo para levar p/ a minha mãe ler detalhadamente. Ela não tem o hábito de tomar leite e até tem intolerância ao leite (lhe faz mal), mas a médica geriatra que está cuidando dela, insiste que ela tome muito leite e atribui, entre outras poucas coisas, a ostoporose a isso. Enfim, falta de esclarecimentos e alimentação inadequada.
    Beijos, Romerci

    ResponderExcluir
  4. Oi Romer, que bom que foi útil. É um assunto bastante amplo e interessante. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Prezados, tomo a liberdade de manifestar-me, sou adepta da alimentação natural e aos poucos vou mudando meus paradigmas alimentares, o que não é fácil na sociedade em que vivemos. Sugiro e já estou utilizando a pasta de biomassa de bananaverde no lugar do leite. A biomassa e neutra e voce tempera como quiser Outra sugestão é utilizar a pasta de biomassa processada com amendoim torrado com um pouco de mel, o que se transforma numa pasta de amendoim natural e deliciosa

    ResponderExcluir